AMRIGS - Associação Médica do Rio Grande do Sul
    
 
Área do Associado



 


 

 
   
 

Agentes de saúde são capacitados sobre febre amarela silvestre

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio da Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde (CGVS), iniciou nesta quinta-feira, 12, um programa de capacitação de Agentes de Combate a Endemias (ACE) e Agentes Comunitários de Saúde (ACS) em relação à febre amarela silvestre. A atualização profissional é destinada a profissionais que atuam na abrangência de gerências distritais cujo território seja vulnerável para a circulação da febre amarela silvestre, a GD Restinga-Extremo Sul, GD Sul/Centro-Sul, GD Partenon-Lomba do Pinheiro e a GD Glória-Cruzeiro-Cristal.
 
Entre os temas em destaque, características sobre os bugios ruivos, espécie que habita matas das zonas Sul e Leste da Capital, e sua relação com a febre amarela, apresentação das áreas com maior risco para febre amarela silvestre, o fluxograma de notificação e informação de epizootias na cidade (doenças que apenas ocasionalmente se encontra em uma comunidade animal, mas que se disseminam com grande rapidez e apresenta grande número de casos); além de informações sobre cobertura vacinal contra febre amarela.
 
De acordo com a informação de técnicos da Vigilância, em 2018, foram analisados laboratorialmente vísceras de dez bugios encontrados mortos em Porto Alegre. Todos os exames tiveram resultado negativo para febre amarela. Moradores das áreas com presença de bugios, ao observar alterações no comportamento dos animais ou que encontrem bugios mortos devem informar a prefeitura pelo telefone 156. Também podem informar aos agentes de saúde ou de combate a endemias, que darão encaminhamento à solicitação. O atendimento dessas ocorrências é feito pela CGVS/SMS em parceria com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e da Sustentabilidade (Smams) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs).  
 
O médico Benjamin Roitman informou aos participantes da capacitação que a cobertura vacinal contra febre amarela em Porto Alegre, em 2017, ficou em 39,5%. Em 2016, o número era de 40% de pessoas vacinadas e, no ano anterior, 33%. A vacina contra febre amarela integra o calendário nacional de vacinação brasileiro e está disponível nas salas de vacina mantidas pela SMS para todas as pessoas, dos seis meses aos 59 anos de idade. Pessoas com mais de 60 anos, imunodeprimidos, gestantes, precisam de indicação médica para serem imunizadas. Em 2018, a Equipe de Vigilância das Doenças Transmissíveis da CGVS/SMS investigou sete casos suspeitos de febre amarela, sendo que cinco pacientes moradores de Porto Alegre. Foi confirmado um caso em paciente que viajou para a área rural de Minas Gerais e teve boa evolução. Um caso está em investigação, aguardando resultado de exames. Os demais foram descartados.
 
Na manhã desta quinta-feira, foram capacitados agentes de saúde e de combate a endemias da GD Sul/Centro-Sul. O cronograma para os demais profissionais está em finalização.

Fonte: Patrícia Coelho/PMPA
Fotos:
Data: 12/04/18      Atualizada em: 12/04/18
Tags: SMS , agentes de saúde , febre amarela ,









 
ARTIGOS

Sentir-se Médico
Dr. José J. Camargo
A fragilidade da democracia da República do Brasil
Dr. Albino Julio Sciesleski
Conscientização e prevenção sobre a Doença Falciforme
Dr. Alfredo Floro Cantalice Neto
Ver Todas
JORNAL AMRIGS

Ver Todas
REVISTA DA AMRIGS

Ver Todas
AMRIGS NA MIDIA

Ver Todas